Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Frase do dia















Assim como Cazuza: "Também cansei de tanta caretice, tanta babaquice, tanta falta do que falar"

domingo, 12 de junho de 2011

Amor VS Sexo Parte II: O sexo :Amor sem sexo, é amizade, sexo sem amor é vontade.

Aos que leram a postagem anterior já devem ter percebido que o romantismo, tal como pelos poetas, não é muito atrativo a mim, talvez eu goste mais do que é carnal e do que é mundano. Por isso gosto tanto de sexo. Geralmente o amor é colocado como algo puro, inocente e sublime, já o sexo é sempre impuro, sujo, mundano e carnal.
                Quantas vezes ao término de relacionamentos duradouros, de repente nos vemos sozinhos com aquela pessoa que vivemos tantos momentos, que tivemos uma relação tão íntima, não só sexual, mas também de pensamentos, planos, sonhos e ideologias, porém não é nada mais intrínseco do que o sexo. De repente nos vemos transando com aquela pessoa, sim transando e não mais fazendo amor como outrora fora feita, fazendo sexo por vontade de ter prazer, por vontade de esquecer os problemas que já foram causados, as brigas e as discussões.
                Para que o sexo seja bom não é necessário o amor, mas é necessário algum tipo de afetividade, como ,por exemplo, a atração física, quando apenas com um toque sentimos todos os nossos instintos animais a flor da pele, ou a paixão, que trás aquele sexo selvagem, e intenso, tão intenso, sempre com intensidade de ultima vez, e necessidade de nunca ser ultima a vez, e de não acabar.
                Agora quando o sexo é feito sem motivo, e com qualquer pessoa, apenas por fazer, para buscar o prazer, sem atração, ou qualquer outro afeto, as preliminares são insatisfatórias, o prazer é inexistente, os beijos tem gosto amargo, e o orgasmo surge apenas pela repetição mecânica, e não surge por prazer, surge com muito esforço, talvez para concluir algo, como se a necessidade se atrair o auge de uma transa, fosse melhor todo o caminho mal feito desde o começo, desde a escolha de uma pessoa qualquer, até o auge da excitação de ambos, quando o corpo devia ser dominado pelo prazer, o corpo apenas extrair um liquido devido ao grande esforço que fora feito durante o tempo, que por mais curto, parece uma eternidade em tempo perdido, e causa frustração.
                Em situações assim, de extrema carência, e alta vontade sexual, e ausência de alguém, o melhor a ser feito e resolver isso, sem ajuda, com próprio corpo, sim masturbação, tanto para o homem, quanto para a mulher, pois não faz sentido essa sociedade patriarcal e machista, moldada em padrões de uma moral que se diz cristã,muitas vezes, hipócrita, se os homens têm esse direito as mulheres também, de conhecer o corpo, soltar a imaginação, quanto ao sexo que é algo tão necessário, claro que os homens têm mais facilidade em se satisfazerem sozinhos, devido a criação, e a forma patriarcal a qual foram criadas, diferentemente das mulheres, não a toa apenas 25% das mulheres do mundo inteiro, “gozam” com penetração, já os homens gozam que sem nem mesmo sentir prazer.
                Como Rita Lee: O amor sem sexo,é amizade, sexo sem amor é vontade.
É bom ter amizades, principalmente as coloridas, pra mim são perfeitas, nada melhor do que transar com alguém com que temos amizade, pois após o orgasmo tudo volta ao normal, não existe cobrança, a necessidade de ligar no dia seguinte, nem medo, nem vergonha, não restrição, tudo é possível, e o sexo é prazeroso e efêmero.
                O sexo somente por prazer, pode ser muito prazeroso, e se cumprir essa função, e experiências atípicas podem ser incríveis, como sexo em lugares proibidos, como em uma avenida movimenta e escura durante a noite, ou com mais de uma pessoa.
                Se o amor é bom a longo prazo, o sexo pode ser divino, e curtos e intensos períodos de tempo, as vezes minutos.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Amor VS Sexo - Parte I: O amor: - "Só sabe definir o amor quem realmente ama"


               Certa vez alguém me disse, “Só sabe definir o amor quem realmente ama”, achei a frase linda, e me senti feliz, pois, naquela época eu tinha uma definição para o amor, que me convencia, mais isso foi a muitos anos, e com o passar dos anos, quando alguém me perguntava, o que era amor? Eu usava isso como complemento de minha frase, eu começava dizendo, só sabe definir o amor quem realmente ama, e como eu já amei, e amei muito, defino o amor da seguinte forma... E sempre dizia algo, hoje não me atrevo a reescrever as palavras que dizia, pois discordo inteiramente do que dizia.
                Hoje se alguém me perguntasse o que amor, eu começaria dizendo a mesma coisa “Só sabe definir o amor quem realmente ama”, porém, mudaria o complemento, diria “Só sabe definir, o amor quem realmente ama, e como eu NUNCA amei não sei definir o amor”, isso mesmo senhores e senhoras, eu que dizia ter amado tanto, hoje chego a conclusão que não amei, e não amei mesmo, já admirei, já me atrai fisicamente, quis fazer sexo com pessoas, já me apaixonei, já desejei, mas amar mesmo não realmente isso realmente nunca fiz, e nem sei se um dia vou fazer da forma clássica e lírica que o amor era colocada.
                O jeito que se fala de amor, em música, novelas, e filmes deixou de me convencer, amores NÃO são eternos, e NÃO devem durar uma vida inteira, devem durar enquanto houver felicidade, o amor deve ser “Eterno, enquanto dure”, como já dizia Vinicius de Moraes, em uma de suas mais belas poesias de amor, o soneto de fidelidade.
                O amor é algo complexo demais para tentar ser definido, é ousadia de quem o tenta definir, mas nós humanos procuramos respostas para tudo, e tentamos explicar o inexplicável, e mas não é a toa que amor é um substantivo abstrato, portanto dificilmente, uma definição desse será precisa, mas claro que acho, e espero que os leitores desse blog, devem definir o amor, pois com certeza lerei coisas incríveis.

                Para mim atualmente não faz mais sentido ficar a vida inteira com uma pessoa, só por obrigação, se existe uma atração em outras, creio que relacionamentos abertos dão mais certo, pois o essencial é a liberdade, há relacionamentos em que
 os envolvidos, deixam de viver a vida individualmente, deixam de ter vontade, e de ter opinião, em função da vida, das vontades e opiniões dos parceiros, creio que isso já deve ter acontecido com a maioria das pessoas, isso já aconteceu ou está acontecendo com você? Se isso acontece com você, deixo um conselho, saia enquanto é tempo, pois a tendência é só pior.
                Por que viver a vida em função de apenas uma pessoa? Se o amor realmente existe não importa, que os envolvidos na relação se envolvam com outras pessoas, física e sexualmente, pois se o amor é verdadeiro apesar de conhecer e se relacionar com as pessoas, com a pessoa amada irá ser diferente, pois entre os amantes (no sentido pessoas que se amam com reciprocidade, e não de infidelidade) é criado um laço inquebrável, que nada nem ninguém pode quebrar.
                Um exemplo respeitável de amor livre, que deu certo, é o relacionamento de Simone de Bevaouir e Jean Paul Sartre, pois durante aproximadamente 50 anos, eles se relacionaram de forma livre, e essa união deu certo, e não daria certo de outra forma, pois ou dois eram (e são) pessoas muito grandes que precisavam conhecer pessoas novas, ter novas experiências, e dividir toda experiência vivida com as pessoas que estes se relacionavam. E acreditem se quiserem ao que tudo indica ambos foram muitos feliz, tanto que estão enterrados um ao lado do outro. Ás vezes acho que é muito egoísta de nossa parte ficarmos presos a só uma pessoa seja por um curto período de tempo ou longo, se temos tanto a aprender e tanto a ensinar a outras pessoas.
                Bom, para não me prolongar, me encerro por aqui, tenho certeza que alguns pensaram, que me contradisse, e de fato fiz isso, porque, disse que não sabia definir o amor, e acabei dando uma definição, mas não sei se é aceitável a comum a todos que irão ler, aliás com toda a sinceridade nem sei se alguém aceitará isso.
                No sábado colocarei a segunda parte: Amor VS Sexo Parte II: O sexo – Amor sem sexo, é amizade, sexo sem amor é vontade.
                Os mais românticos que me perdoem, pelo que foi escrito assim, espero que não fiquem traumatizados (as) e voltem.
                Beijos e abraços na alma conto com a volta de vocês na próxima postagem