Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Amor VS Sexo - Parte I: O amor: - "Só sabe definir o amor quem realmente ama"


               Certa vez alguém me disse, “Só sabe definir o amor quem realmente ama”, achei a frase linda, e me senti feliz, pois, naquela época eu tinha uma definição para o amor, que me convencia, mais isso foi a muitos anos, e com o passar dos anos, quando alguém me perguntava, o que era amor? Eu usava isso como complemento de minha frase, eu começava dizendo, só sabe definir o amor quem realmente ama, e como eu já amei, e amei muito, defino o amor da seguinte forma... E sempre dizia algo, hoje não me atrevo a reescrever as palavras que dizia, pois discordo inteiramente do que dizia.
                Hoje se alguém me perguntasse o que amor, eu começaria dizendo a mesma coisa “Só sabe definir o amor quem realmente ama”, porém, mudaria o complemento, diria “Só sabe definir, o amor quem realmente ama, e como eu NUNCA amei não sei definir o amor”, isso mesmo senhores e senhoras, eu que dizia ter amado tanto, hoje chego a conclusão que não amei, e não amei mesmo, já admirei, já me atrai fisicamente, quis fazer sexo com pessoas, já me apaixonei, já desejei, mas amar mesmo não realmente isso realmente nunca fiz, e nem sei se um dia vou fazer da forma clássica e lírica que o amor era colocada.
                O jeito que se fala de amor, em música, novelas, e filmes deixou de me convencer, amores NÃO são eternos, e NÃO devem durar uma vida inteira, devem durar enquanto houver felicidade, o amor deve ser “Eterno, enquanto dure”, como já dizia Vinicius de Moraes, em uma de suas mais belas poesias de amor, o soneto de fidelidade.
                O amor é algo complexo demais para tentar ser definido, é ousadia de quem o tenta definir, mas nós humanos procuramos respostas para tudo, e tentamos explicar o inexplicável, e mas não é a toa que amor é um substantivo abstrato, portanto dificilmente, uma definição desse será precisa, mas claro que acho, e espero que os leitores desse blog, devem definir o amor, pois com certeza lerei coisas incríveis.

                Para mim atualmente não faz mais sentido ficar a vida inteira com uma pessoa, só por obrigação, se existe uma atração em outras, creio que relacionamentos abertos dão mais certo, pois o essencial é a liberdade, há relacionamentos em que
 os envolvidos, deixam de viver a vida individualmente, deixam de ter vontade, e de ter opinião, em função da vida, das vontades e opiniões dos parceiros, creio que isso já deve ter acontecido com a maioria das pessoas, isso já aconteceu ou está acontecendo com você? Se isso acontece com você, deixo um conselho, saia enquanto é tempo, pois a tendência é só pior.
                Por que viver a vida em função de apenas uma pessoa? Se o amor realmente existe não importa, que os envolvidos na relação se envolvam com outras pessoas, física e sexualmente, pois se o amor é verdadeiro apesar de conhecer e se relacionar com as pessoas, com a pessoa amada irá ser diferente, pois entre os amantes (no sentido pessoas que se amam com reciprocidade, e não de infidelidade) é criado um laço inquebrável, que nada nem ninguém pode quebrar.
                Um exemplo respeitável de amor livre, que deu certo, é o relacionamento de Simone de Bevaouir e Jean Paul Sartre, pois durante aproximadamente 50 anos, eles se relacionaram de forma livre, e essa união deu certo, e não daria certo de outra forma, pois ou dois eram (e são) pessoas muito grandes que precisavam conhecer pessoas novas, ter novas experiências, e dividir toda experiência vivida com as pessoas que estes se relacionavam. E acreditem se quiserem ao que tudo indica ambos foram muitos feliz, tanto que estão enterrados um ao lado do outro. Ás vezes acho que é muito egoísta de nossa parte ficarmos presos a só uma pessoa seja por um curto período de tempo ou longo, se temos tanto a aprender e tanto a ensinar a outras pessoas.
                Bom, para não me prolongar, me encerro por aqui, tenho certeza que alguns pensaram, que me contradisse, e de fato fiz isso, porque, disse que não sabia definir o amor, e acabei dando uma definição, mas não sei se é aceitável a comum a todos que irão ler, aliás com toda a sinceridade nem sei se alguém aceitará isso.
                No sábado colocarei a segunda parte: Amor VS Sexo Parte II: O sexo – Amor sem sexo, é amizade, sexo sem amor é vontade.
                Os mais românticos que me perdoem, pelo que foi escrito assim, espero que não fiquem traumatizados (as) e voltem.
                Beijos e abraços na alma conto com a volta de vocês na próxima postagem

4 comentários:

  1. Eu diria mais. QUe esse "eu amei" é relativo.
    Acho que é fato não é que não tenhamos amado uma pessoa. De fato, a amamos. Mas amamos muito mais as construções que colocavamos em volta da pessoa de fato. Amávamos as ilusões, as expectativas, as esperas de que um dia atingiríamos o ápice da felicidade conjunta ao lado dela. Como a pessoa amada não é perfeita e o relacionamento eventualmente não deu certo... acabamos por odiar nossas ilusões! e o amor vira só ódio...e depois se apaga!
    devaneios à parte...
    a maioria das pessoas não foge de uma vida comum. algumas só fazem isso. elas fogem dos clichês... mas às vezes são surpreendidas por eles! e acabam sendo felizes de fato, em função dessas coisas tolas que todos fazem... não tem uma fórmula, neah ^^
    (vou argumentar mais na segunda parte!!)
    bjos, querido

    ResponderExcluir
  2. Amor, palavra tão linda e inexplicável..rsrs

    ResponderExcluir
  3. O amor é algo sem explicação, que detém toda a razão,mas que não deve ser banalizado por pessoas que não conhecem, e não sentem o sentido da palavra: AMOR.

    BJOS!

    ResponderExcluir