Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Cicatriz


Acho que temos duas vidas, uma para guardar e outra para ser vivida (ou talvez tenhamos três, uma terceira só para sonhar)

sábado, 2 de junho de 2012

LIBERTAS (de si) QUAE SERA TAMEN





El@ estava sempre despid@, mas não era seu corpo que era mostrado, era a sua alma, el@ era um ser passional,considerava-se um edifício no meio do mundo, e tinha como seu alicerce a paixão.

   Se entregava demais, com a sua licença poética, não tinha medo de ser infeliz, se entregava de corpo alma, desde o primeiro momento, ia pront@ para quebrar a cara, pr@ amar como se fosse a ultima ou primeira vez.
   Por ser tamanha a sua entrega, pessoas idiotas, insensíveis, mesquinhas,inseguras e medrosas, não acreditavam na força dos seus sentimentos, é tão fácil julgar pela superficialidade. Superficialidade, é isso, apesar de el@ ser extremamente profund@ mostrava-se pouco, aliás não mostrava-se, deixava que quem tinha sensibilidade percebesse o quão profunda era sua alma.
  Apesar de conseguir se apaixonar, pelos menos umas cinco vezes ao dia,e odiar mais outras cinco, el@ carregava no âmago do seu ser eu profundo vazio, uma carência, acha el@ que se bastava, ah. Que doce engano,el@ mal sabia quem era, buscava a felicidade dentro de si, mas nem sempre isso era possível, talvez quase nunca, talvez NUNCA.Ah!Talvez, que palavra maldita,essa palavra não deveria existir, e para el@ não existia.
   El@ a certeza do não, do que a incerteza de um maldito talvez, se é para destrui-l@, que faça por inteiro, despreze, xingue, grite, odeio, demonstre o desafeto,demonstre o desamor,DEMONSTRE!Para esse ser que é cheio de desaventuras desamorosas, e não aprendeu a superá-las, nunca aprender, por que esse Ser é humano, demasiado humano, é intenso, e sente, profundamente, e não sabe o quanto a verdade mente.
  Ultimamente, el@ tem quebrado a cara bastante, prometido não se entregar, mas el@ sabe que não vai cumpri,el@ não aprende,quem sabe el@ goste de sofrer, ir ao fundo do poço, pro depois se reerguer, el@ é como fênix,que renasce de suas cinzas.
  Mas el@ tem coragem, coragem pra viver um grande amor,e não importa se com uma única pessoa, ou se com o universo inteiro,el@ se entregaria igualmente, pois apesar de ter a cor do pecado em seu cor, el@ possui uma transparência enorme, e mostra o seu melhor, e o seu pior, desde o primeiro momento.
  Até por que...Ele/Ela=El@ são várias pessoas, várias emoções, várias emoções, que explodem dentro de um único corpo,que grita, transborda, de alma que geme, e transcende.
  E todo esse caos se desune para escrever esses fragmentos desconexos,de uma mente desconvexa.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

INDIGNAÇÃO (Que país é esse? é a PORRA do Brasil)

Indignação!!! É isso por que as vezes nossa população é tão indiferente a situação política, sabemos que muita coisa não funciona, a escola pública não funciona, o sistema carcerário não funciona, a saúde publica não funciona, e todos sabem,sobretudo os políticos,e propositalmente fazem que isso não funcione,e nós aceitamos passivamente,e dizendo que o governo deveria,o governo deveria, O GOVERNO DEVERIA MUITA COISA, MUITA COISA MESMO, e sabe mesmo, mas as coisas não vão mudar por que reclamamos, desde muito pivete me inconformo com um pais que vez vários movimentos em 1968,depois as diretas já, e os caras-pintadas, hj a população apenas reclama, aceita salários medíocre ao professores que são a base do pais, um salário mínimo medíocre, que não é o suficiente para as necessidades mais básicas de um ser humano, e essas bolsas esmolas, e pendura faixas nas cidades agradecendo pelo simples fato de ele de vez em nunca cumpri suas obrigações, a por favor, isso é patético e me enoja,e ainda querem me dizer que vivemos num país democrático, a palhaçada isso daí, tão democrático que somos obrigados a votar,e os homens são obrigados a servir o exército, onde fica o poder do povo nisso, eu devo ser muito inocente pra não conseguir enxergar.Pelo menos existem alguns movimentos sociais, e algumas marchar que estão acontecendo que já mostram algo, embora muitos sejam contra e que acreditam que está tudo bem, afinal somos um país emergente e estamos entre as dez maiores economias do mundo, já estamos em vários grupos MERCOSUL,BRICS,G-20. E nem é importante que temos uma das maiores desigualdades sociais, e que nossa educação é péssimo, e que sempre colocam a culpa nos professores o que de fato é um erro, enfim vivemos em país de situação política privilegiada com ótimo deputados,como o Tiririca, o Collor, o Sarney, O Malluf,e São Paulo, o maior centro econômico do país,a que Estado privilegiado, com o mesmo partido governando o estado, e muita coisa melhorou, uma educação ótima,saúde pública excelente!Afinal todos são atendidos prontamente quando vamos ao hospital público, trânsito a nem existe, e o transporte público esse é o melhor, quem pega ônibus no horário de pico,e faz baldeação na Sé as 18h que o diga, o preço das coisas sempre sobe para melhorias,sem contar nos descontos em nossos salários para gasto públicos, acho engraçado que nada melhora, e os políticos ficam cada vez mais ricos, mas é mera coincidência, pra quem não conseguiu entender isso foi uma ironia,AH QUE BOM SERIA SE A GENTE VIVESSE NUMA DEMOCRACIA. 

PS escrevo não porque quero que concordem os discordem de mim, mas por que precisa exteriorizar o que sinto

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Devaneio do dia

"Para me refazer e te refazer volto ao meu estado de jardim e sombra,fresca realidade,mal existo e se existo e com delicado cuidado. Em redor da sombra faz calor de suor abundante. Estou viva. Mas sinto que ainda não alcancei os meus limites , fronteiras com o quê?sem fronteiras, a aventura da liberdade perigosa. Mas arrisco, vivo arriscando. Estou cheia de acácias balançando amarelas,e eu que mal e mal comecei a minha jornada, começo-a com um senso de tragédia,adivinhando para que oceano perdido vão os meus passos de vida. E doidamente me apodero dos desvãos de mim, meus desvairos me sufocam de tanta beleza. Eu sou antes, eu sou quase, eu sou nunca. E tudo isso ganhei ao deixar de te amar."

Clarice Lispector em Água Viva

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Desabafo (N)

E agora o que eu vou fazer? O que se faz quando se sabe não o que se sente, você acha que se apaixona por uma pessoa comprometida, acha que ela te dá esperança, conversa diretamente com ela, aliás diretamente até de mais, em um frase, metafórica, mal pensada, e falada em mal momento, a partir disso, vocês que já estavam se distanciando, se distanciam ainda mais, você acha que talvez a resposta seja bem clara, o não seja bem claro, mas você é aquele tipo de pessoa, que embora entenda meias palavras e meias atitudes, prefere não vê-las, pois isso já uma grande característica, se não for a principal para acabar com o que você sente,e com toda a admiração que você.(Escrevo sem pontos finais, sem vírgulas em momentos certos e talvez em um único parágrafo por que não quero que seja bonito, e se ficar confuso, pare de ler! pois meus sentimentos e emoções são confusos).Sim você é daqueles que aprecia a verdade por mais dolorida que seja, você que mandava mensagens carinhosas, em troca de mensagens também carinhosas, o que de fato acontecia, para e a outra pessoa também. E o que fazer se conformar em não olhar nos olhos da pessoa, e dizer que não sabe o que sente, mas que sente algo, passageiro, pois você não uma pessoa eterna, a distância diminui tudo, mas não acaba. E o que fazer? Esperar o ano novo? Convocar um encontro neste final de ano vomitar tudo que você sente, para não piorar quando a hora de dizer chegue,e ou quando esse hora chegar não tenha nada a dizer,E o que fazer? E agora José? Você é forte? Você não ama e protesta e agora? Por muitas vezes a sinestesia (mistura de sensação que neste texto virá mistura de sentimentos) e a pior sensação, confusão, impotência, carinho, raiva, amizade, paixão, desejo tudo ao mesmo tempo. E o tempo em que você se prometeu já passou a muito tempo, sua coragem já aumentou e diminui, e você tal qual Ana Carolina, Ainda tem muita coisa pra falar, promessas que se fez e que ainda não cumpriu, palavras que te aguardam o tempo exato pra falar, coisas suas, que talvez essa pessoa nem queira ouvir...você quer beijos sem tréguas, quer sete mil léguas quer ver se essa pessoa, e se você tem atitude se vão encarar, você escreve em terceira pessoa para ficar impessoal, mesmo sendo a história muito sua, sim isso é uma história real, um desabafo N, como titulo postagem pois tanto eu como a pessoal que gosto temos N, como terceira letra de nosso nome, e quando ouço a musica N do Nando Reis penso nessa pessoa, sim isso é uma história real, confusa, tal como é a vida sobretudo a minha vida, talvez agir com covardia e não bater de frente seja melhor remédio, mas acho que não o farei, pelo simples fato de ser eu, de as vezes gostar da verdade de sentir dor, e de precisar da verdade por mais dolorida que seja, precisar por certas vezes de uma certeza,e sempre cresci ao encarar as coisas de frente, vale a pena o risco? (escrevo em primeira e em terceira pessoa, pois as vezes quero que a história seja minha outras não, as vezes coloco atitudes que fiz ou faria, outras não, escrevo por que não me preocupo com a forma, e sim com o que eu sinto, esse texto não é para ser claro, e esclarecedor pra quem lê, e sim pra quem escreve, essa história é muito minha, e se vou dividi-la será a meu modo!).Enfim o que eu quero é uma anestesia para os meus sentimentos, para que eu pare de sentir de modo over, para que eu não sinto nada, e tal como Arnaldo Antunes queria um coração, por o meu não bater nem apanhar, esse é o preso que se paga por ser tão independente? E tal desapegado, por deixar bem claro sua bissexualidade, e não prometer dizer mentirinhas agradáveis, não dizer eu te amo só por dizer,e por querer ser livre, e por deixar claro que você nunca será de ninguém, pois mesmo estando com o outra pessoa, você continua se pertencendo, para fim de conversa parafraseio e plageio Carlos Drummond de Andrade. Mundo,mundo (imundo), se eu me chamasse Raimundo não seria uma solução seria uma rima mas (infelizmente) vasto (a droga) do meu coração. (Agora me sinto mais leve!).

PS: E você não tem direito de calar a minha boca afinal me doi no peito uma dor que não é pouca, tem dó! Deixa, deixa, deixa eu dizer o que eu sinto dessa vida eu preciso demais desabafar

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Noite


Era uma pessoa, sentada em cima de sua cama, completamente sem roupa, ouvia Rolling Stones, fumava uns cigarro, e bebia uma vodca barata e pensava em sua tarde, tarde de sexo, sexo mal feito, muito mau-feito por sinal, fumava e lembrava com nojo execrável  daquele sexo, bebia em dose generosas e seu nojo aumentava mais ainda, o sexo fora tão mal feito, pensava como alguém poderia fazer sexo, como quem acompanhava a pessoa que fuma, bebe e ouve Rolling Stones, nessa história, só de lembrar vem uma terrível ânsia de vômito, sim fora, fora muito ruim.
                Lembrava de como a transa foi algo mecânico, e parece que tudo era cronometrado, nem se o sexo fosse pago, seria feito de forma tão artificial, e tão externa, tão sem intimidade, nunca o pós-sexo dessa pessoa foi sim, causador de asco só no pensar, se essa pessoa não gostasse tanto de sexo, não o fazia nunca mais, tamanho foi o trauma dessa transa, sem prazer, sem motivo, sem sentido, sem sexo,sem nada.
                Lembrava-se de todos os detalhes, e isso atormentava, os cigarros e a vodca estavam acabando, o cd dos Rolling Stones estava acabando, e ouvir I can´t get no satisfaction (eu não consigo ter satisfação) por algum motivo desconhecido irritava muito, mas essa era a música mais tocada, já havia tocado varias vezes, e o desprezo, e o asco, assim como a luxúria da pessoa que houve Rolling Stones sem roupa só aumenta. Não a nada pior que sexo mal feito.
                Lembra de como foi penoso, chegar ao gozo, e que chegara ao gozo não por prazer, mas por um penoso esforço, uma série incessante de movimentos repetitivos, com maior velocidade e maior força, até por fim o gozo sai, mas como qualquer outro excreção natural do corpo, tanto faz se gozo, catarro, vômito, cuspe, merda, sangue ou mijo, o que diferencia o gozo das outros excreções naturais do corpo, nessa transa, é apenas a sua forma física, seu cheiro, textura e odor, mas o método com que sai, em nada difere de qualquer outra excreção, sim foi ruim, foi muito ruim, foi péssimo, uma boa masturbação teria sido bem mais produtiva.
                A pessoa que fumava sem roupa na cama só quer esquecer, o quanto foi ruim, e que pela primeira vez, vira falta de sentido no sexo, via um movimento de entra e sai sem sentido, analisa as cores da parede, e procura não olhar para aquele corpo ali, frigido a sua frente, em verdade parecia estar trasando com um cadáver, tamanho e egoísmo de outrem na transa, que ignorava que relação ali era entre duas pessoas, portanto esperava-se que ambas sentissem prazer, a pessoa que fuma, sem roupa na cama foi para sentir prazer, mas nem na hora do gozo sentiu, algo frustrante, sensação de inacabado.
                O próprio corpo nu, a própria cama, os próprios cigarros quase se esgotando, e a voz de Mick Jagger cantando, aquela frustração, aquela vontade, aquelas mãos começam a acariciar o próprio pescoço, delicadamente, e descem até os peitos, acariciam os peitos com volúpia, e continuam a descer as mãos pelo próprio corpo, chegam a barriga, e a própria língua começa a lamber os próprios braços, a individualidade começa a fazer com que a pessoa que bebe vodca na cama transcenda, as mãos continuam descendo, até tocar no sexo, que já estava ativo a muito tempo,as 


mãos começam a tocar aquele primeiro com delicadeza, depois com vontade, vontade que aquele sexo precisava, volúpia, e desespero, a música dos Rolling Stones, misturada com os suspiros, gemidos, e as vezes gritos do amor próprio, da re-descoberta do prazer individual, de uma forma como nunca fora sentido, a vontade de que o momento nunca a acabe, a exploração com as mãos de todo o espaço corporal, e a ênfase no sexo, o prazer solitário poder ser bem melhor, do que o prazer coletivo, e a alma começa a transcender cada vez mais, até deixar que o corpo seja completamente dominado pelo prazer, então sai o gozo, e todo aquele corpo se arrepia, sai o gozo como um grito do corpo, que diz que o momento foi bom, acabam-se os cigarros,acaba a vodca, Mick Jagger silencia, e o prazer começa, a pessoa de nossa história, deita ainda sem roupa, em sua cama, e pode agora dormir feliz.
                

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Desabafo

Foda-se

Hoje acordei com uma imensa vontade de gritar FODA-SE
FODA-SE a Estupidez
FODA-SE a intolerância
FODA-SE a ganância
FODA-SE a arrogância
FODA-SE ignorância
FODA-SE a inveja
FODA-SE a vaidade
FODA-SE a hipocrisia
FODA-SE a aristocracia
FODA-SE a burguesia
FODA-SE a ditadura
FODA-SE o ódio
FODA-SE a violência
FODA-SE o egoísmo
FODA-SE a prepotência
FODA-SE a falta de diálogo
FODA-SE o desprezo
FODA-SE a superioridade
FODA-SE a desigualdade
FODA-SE o sofrimento
FODA-SE a tristeza
FODA-SE a raiva
FODA-SE o rancor
FODA-SE mágoa
FODA-SE o mundo
FODA-SE o medo
FODA-SE a homofobia
FODA-SE a merda do seu tom professoral idiota
FODAM-SE os preconceitos E pré-conceitos
FODAM-SE as pessoas idiotas
FODA-SE essa sociedade de aparência onde o ter têm mais valor que ser
FODA-SE essa vida de merda
FODA-SE o machismo
FODA-SE O FEMINISMO


FODAM-SE os seus e os meus personagens socia

is

FODA-SE O SEXISMO


FODA-SE toda essa enganação
FODA-SE a corrupção
FODAM-SE as guerras
FODA-SE essa dominação
FODA-SE a escravidão
FODA-SE essa babaquice
FODA-SE essa mesquinharia
FODA-SE a carência
FODA-SE o fingimento
FODA-SE a insônia
FODA-SE!
FODA-SE!
FODA-SE!
FODA-SE autoridade
FODA-SE o mau humor
FODA-SE o bom e mau senso
FODA-SE a censura
FODA-SE injustiça
FODA-SE a falta de atenção
FODA-SE a rebeldia
FODA-SE a incompreensão
FODAM-SE os gritos oprimidos
FODAM-SE!
FODAM-SE!
FODAM-SE!



FODA-SE a merda desse mundo, pare a porra do mundo para que nós palhaços desse circo sem futuro possamos descer.




E por fim fodam-se todos que lêem essa postagem  fodam-se no bom sentido da palavra, é claro






sexta-feira, 17 de junho de 2011

Frase do dia















Assim como Cazuza: "Também cansei de tanta caretice, tanta babaquice, tanta falta do que falar"

domingo, 12 de junho de 2011

Amor VS Sexo Parte II: O sexo :Amor sem sexo, é amizade, sexo sem amor é vontade.

Aos que leram a postagem anterior já devem ter percebido que o romantismo, tal como pelos poetas, não é muito atrativo a mim, talvez eu goste mais do que é carnal e do que é mundano. Por isso gosto tanto de sexo. Geralmente o amor é colocado como algo puro, inocente e sublime, já o sexo é sempre impuro, sujo, mundano e carnal.
                Quantas vezes ao término de relacionamentos duradouros, de repente nos vemos sozinhos com aquela pessoa que vivemos tantos momentos, que tivemos uma relação tão íntima, não só sexual, mas também de pensamentos, planos, sonhos e ideologias, porém não é nada mais intrínseco do que o sexo. De repente nos vemos transando com aquela pessoa, sim transando e não mais fazendo amor como outrora fora feita, fazendo sexo por vontade de ter prazer, por vontade de esquecer os problemas que já foram causados, as brigas e as discussões.
                Para que o sexo seja bom não é necessário o amor, mas é necessário algum tipo de afetividade, como ,por exemplo, a atração física, quando apenas com um toque sentimos todos os nossos instintos animais a flor da pele, ou a paixão, que trás aquele sexo selvagem, e intenso, tão intenso, sempre com intensidade de ultima vez, e necessidade de nunca ser ultima a vez, e de não acabar.
                Agora quando o sexo é feito sem motivo, e com qualquer pessoa, apenas por fazer, para buscar o prazer, sem atração, ou qualquer outro afeto, as preliminares são insatisfatórias, o prazer é inexistente, os beijos tem gosto amargo, e o orgasmo surge apenas pela repetição mecânica, e não surge por prazer, surge com muito esforço, talvez para concluir algo, como se a necessidade se atrair o auge de uma transa, fosse melhor todo o caminho mal feito desde o começo, desde a escolha de uma pessoa qualquer, até o auge da excitação de ambos, quando o corpo devia ser dominado pelo prazer, o corpo apenas extrair um liquido devido ao grande esforço que fora feito durante o tempo, que por mais curto, parece uma eternidade em tempo perdido, e causa frustração.
                Em situações assim, de extrema carência, e alta vontade sexual, e ausência de alguém, o melhor a ser feito e resolver isso, sem ajuda, com próprio corpo, sim masturbação, tanto para o homem, quanto para a mulher, pois não faz sentido essa sociedade patriarcal e machista, moldada em padrões de uma moral que se diz cristã,muitas vezes, hipócrita, se os homens têm esse direito as mulheres também, de conhecer o corpo, soltar a imaginação, quanto ao sexo que é algo tão necessário, claro que os homens têm mais facilidade em se satisfazerem sozinhos, devido a criação, e a forma patriarcal a qual foram criadas, diferentemente das mulheres, não a toa apenas 25% das mulheres do mundo inteiro, “gozam” com penetração, já os homens gozam que sem nem mesmo sentir prazer.
                Como Rita Lee: O amor sem sexo,é amizade, sexo sem amor é vontade.
É bom ter amizades, principalmente as coloridas, pra mim são perfeitas, nada melhor do que transar com alguém com que temos amizade, pois após o orgasmo tudo volta ao normal, não existe cobrança, a necessidade de ligar no dia seguinte, nem medo, nem vergonha, não restrição, tudo é possível, e o sexo é prazeroso e efêmero.
                O sexo somente por prazer, pode ser muito prazeroso, e se cumprir essa função, e experiências atípicas podem ser incríveis, como sexo em lugares proibidos, como em uma avenida movimenta e escura durante a noite, ou com mais de uma pessoa.
                Se o amor é bom a longo prazo, o sexo pode ser divino, e curtos e intensos períodos de tempo, as vezes minutos.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Amor VS Sexo - Parte I: O amor: - "Só sabe definir o amor quem realmente ama"


               Certa vez alguém me disse, “Só sabe definir o amor quem realmente ama”, achei a frase linda, e me senti feliz, pois, naquela época eu tinha uma definição para o amor, que me convencia, mais isso foi a muitos anos, e com o passar dos anos, quando alguém me perguntava, o que era amor? Eu usava isso como complemento de minha frase, eu começava dizendo, só sabe definir o amor quem realmente ama, e como eu já amei, e amei muito, defino o amor da seguinte forma... E sempre dizia algo, hoje não me atrevo a reescrever as palavras que dizia, pois discordo inteiramente do que dizia.
                Hoje se alguém me perguntasse o que amor, eu começaria dizendo a mesma coisa “Só sabe definir o amor quem realmente ama”, porém, mudaria o complemento, diria “Só sabe definir, o amor quem realmente ama, e como eu NUNCA amei não sei definir o amor”, isso mesmo senhores e senhoras, eu que dizia ter amado tanto, hoje chego a conclusão que não amei, e não amei mesmo, já admirei, já me atrai fisicamente, quis fazer sexo com pessoas, já me apaixonei, já desejei, mas amar mesmo não realmente isso realmente nunca fiz, e nem sei se um dia vou fazer da forma clássica e lírica que o amor era colocada.
                O jeito que se fala de amor, em música, novelas, e filmes deixou de me convencer, amores NÃO são eternos, e NÃO devem durar uma vida inteira, devem durar enquanto houver felicidade, o amor deve ser “Eterno, enquanto dure”, como já dizia Vinicius de Moraes, em uma de suas mais belas poesias de amor, o soneto de fidelidade.
                O amor é algo complexo demais para tentar ser definido, é ousadia de quem o tenta definir, mas nós humanos procuramos respostas para tudo, e tentamos explicar o inexplicável, e mas não é a toa que amor é um substantivo abstrato, portanto dificilmente, uma definição desse será precisa, mas claro que acho, e espero que os leitores desse blog, devem definir o amor, pois com certeza lerei coisas incríveis.

                Para mim atualmente não faz mais sentido ficar a vida inteira com uma pessoa, só por obrigação, se existe uma atração em outras, creio que relacionamentos abertos dão mais certo, pois o essencial é a liberdade, há relacionamentos em que
 os envolvidos, deixam de viver a vida individualmente, deixam de ter vontade, e de ter opinião, em função da vida, das vontades e opiniões dos parceiros, creio que isso já deve ter acontecido com a maioria das pessoas, isso já aconteceu ou está acontecendo com você? Se isso acontece com você, deixo um conselho, saia enquanto é tempo, pois a tendência é só pior.
                Por que viver a vida em função de apenas uma pessoa? Se o amor realmente existe não importa, que os envolvidos na relação se envolvam com outras pessoas, física e sexualmente, pois se o amor é verdadeiro apesar de conhecer e se relacionar com as pessoas, com a pessoa amada irá ser diferente, pois entre os amantes (no sentido pessoas que se amam com reciprocidade, e não de infidelidade) é criado um laço inquebrável, que nada nem ninguém pode quebrar.
                Um exemplo respeitável de amor livre, que deu certo, é o relacionamento de Simone de Bevaouir e Jean Paul Sartre, pois durante aproximadamente 50 anos, eles se relacionaram de forma livre, e essa união deu certo, e não daria certo de outra forma, pois ou dois eram (e são) pessoas muito grandes que precisavam conhecer pessoas novas, ter novas experiências, e dividir toda experiência vivida com as pessoas que estes se relacionavam. E acreditem se quiserem ao que tudo indica ambos foram muitos feliz, tanto que estão enterrados um ao lado do outro. Ás vezes acho que é muito egoísta de nossa parte ficarmos presos a só uma pessoa seja por um curto período de tempo ou longo, se temos tanto a aprender e tanto a ensinar a outras pessoas.
                Bom, para não me prolongar, me encerro por aqui, tenho certeza que alguns pensaram, que me contradisse, e de fato fiz isso, porque, disse que não sabia definir o amor, e acabei dando uma definição, mas não sei se é aceitável a comum a todos que irão ler, aliás com toda a sinceridade nem sei se alguém aceitará isso.
                No sábado colocarei a segunda parte: Amor VS Sexo Parte II: O sexo – Amor sem sexo, é amizade, sexo sem amor é vontade.
                Os mais românticos que me perdoem, pelo que foi escrito assim, espero que não fiquem traumatizados (as) e voltem.
                Beijos e abraços na alma conto com a volta de vocês na próxima postagem